sábado, 2 de abril de 2011

Ser feliz ou ser fiel? Eis a questão...




Olá Fofuxas! Hoje quem vai participar da sessão "Intervenção" será um grande amigo: Édson, ou melhor, Éd!! ^^ É com vc... Até mais!!! S2 Cih S2


________________________________________________________________________


Primeiramente agradeço o convite e o espaço que as garotas do Viés me concederam. Sou fissurado pela arte de escrever e não poderia recusar de forma alguma essa oportunidade.

Fui encarregado de escolher um tema e discorrer sobre ele, uma baita responsabilidade, diga-se de passagem. Pensei, repensei, ouvi dicas, conselhos, e me deparei com o título supracitado. Polêmico? Sim, eu sei e foi exatamente por isso que escolhi!

Antes mesmo de adentrar no tema, decidi me focar no público alvo que o Viés se destina, e qual é o seu pensamento. Descobri então que possui como uma de suas características ser “Tendencioso”. Palavra forte não? Então cá estou me adaptando rapidamente. Informo que a opinião tendenciosa que irei emitir é uma opinião pessoal, e peço que não interpretem como uma opinião de um homem, e sim de um ser humano.

Bem, vamos lá?

A felicidade é o estado supremo de alegria que podemos atingir, e está diretamente ligada ao presente, a felicidade não é o futuro, ou o passado. É o agora.

A fidelidade é o respeito supremo, é o agir com consideração ao próximo. É superar tentações e provações que a vida proporciona e manter-se casto.

Tudo muito bonito, muito legal... Mas e quando uma coisa interfere diretamente na outra, o que é que prevalece? Situações como essas são mais do que rotineiras, e quase sempre nos deparamos com as mesmas perguntas nesta situação. O que fazer? Por que isso comigo?

Está mais do que na hora de pararmos com as lamentações e com os questionamentos depressivos, e fazermos o que deve ser feito não é? Pense rapidamente e me responda:

1: Quantas vidas você tem?
2: Quem é a pessoa mais importante do mundo?
3: O que pode ser mais importante do que a sua satisfação pessoal?

Se as respostas foram: Uma, Eu e Nada, respectivamente, você pensa de forma semelhante a minha, e seguindo a mesma linha de raciocínio chego a só uma conclusão:

“Ser feliz!”

Não tenha dúvidas que o ideal é quando você consegue conciliar as duas coisas, quando consegue ser feliz sendo fiel! Casos raros, em minha concepção pura utopia. Me ouça: A vida é ingrata! Ela nos coloca tentações, obstáculos e dilemas, e diante disso não hesite. A prioridade é ser feliz!

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios. É ter coragem de enfrentá-los.
É sentir aquele friozinho na barriga por fazer aquilo que sabe que é errado, mas que é o que tem desejo! Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.

Como então deixar que o simples fato de considerar, ou respeitar, prevalecer no sublime momento de êxtase pessoal?
Vai ter quem diga:

- Ahhh, não! Temos que ser sinceros, falar sempre a verdade!!!

Digo com propriedade, só quem passou por isso sabe o que é!

Sabe que na realidade as coisas não são tão fáceis assim.

E encarando desta forma fica tudo muito fácil pra mim:

Ser feliz é prioridade.
Ser fiel é consequência.

Consigo os dois? Bem...
Não consigo? Paciência...to buscando a felicidade então....




Bem é isso, peço desculpas se feri o princípio ou a moralidade de alguém, e gostaria muito de ler opiniões contraditórias, então, por favor: Comentem!

Um grande abraço e fiquem com Deus!

11 comentários:

Patrícia Quel disse...

Oi!
Adorei o texto...
Posso dizer que sou uma pessoa feliz e fiel. Não sou daquelas pessoas que fica caçando problemas, sempre vejo o aldo positivo de tudo...
A fidelidade é real qd o outro o completa, se não pode e não sabe ser fiel é melhor ficar sozinho(a)...
Adorei o seu ponto de vista...
Bjs!

Je Magazine disse...

Éd, o seu ponto de vista é interessante, tem coerência, o o texto ficou bem claro!

Claro que fidelidade, é um padrão imposto no mundo que vivemos, para ser aceito como pessoa de caráter, é preciso ser fiel, dai entram suas variáveis, de fato! Nada é tão simples não é mesmo?

Acho que se a questão, é a busca de felicidade, para quem trai, é um ótimo argumento para se justificar. Mas pra quem foi traído? Quer dizer, a pessoa trai para buscar a felicidade, mas por mais que o EU, seja em primeiro lugar, a gente é parte das pessoas que nos cativam, e convivemos! Para mim, magoá-las é se fazer mal, de uma forma indireta.

Confuso, egoísta, e certamente, confortante.

Confortante porque é um ótimo argumento para dar a nós mesmos. Não digo como mulher mas como ser humano.

O fato, é que cada um sabe de si, e se alguém acredita no própio motivo para traíção, será dessa verdade, mas devo dizer, quem é adepto, deve fazer bem feito, porque para quem é traido, até perdoa, mas não esquece.

Dai penso, vale mesmo a pena?

Beijos, e obrigada pela participação no Viés!

Juh Barreto disse...

Oie Éd e meninas!!!
Adorei a intervenção, acredito mesmo que a felicidade não é algo futuro, muito menos que esteja em algo externo a nós. Somos exatamente aquilo que nos propormos a ser, e isso não diz respeito apenas a felicidade mas a tudo.
Adorei os momentos de reflexão na companhia de vcs.

Beijocas, o blog está cada vez mais acolhedor.

Adoro!


Juh

www.territoriodemeninas.blogspot.com

Pretaa ★ disse...

Olá pessoas!

Ed, parabéns, ótimo texto.

Felicidade e traição na mesma frase eu considero como contraditório. Sim, se não é feliz com a pessoa e trai em busca de felicidade, porque não terminar o relacionamento com uma para depois relacionar-se com outra?

É possível ser completamente feliz sabendo que você feriu uma pessoa? E que possivelmente essa pessoa sofreu ou sofre com essa atitude?

Quer ser feliz? SEJA! Mas antes, tenha no mínimo a decência de amenizar a dor do(a) companheiro(a), abra o jogo, diga que não dá mais...

Beijos!

Reh :*

Nani Mota disse...

Adorei seu ponto de vista, é realmente muito raro ver casos de fidelidade e felicidade andando de mãos dadas por ai!
Eu sou casada e tenho uma filha, mil vezes tive a oportunidade de trair e claro vontade, mas resisti por amor e por saber que tudo que eu tenho de melhor seria perdido. Não sei se vai ser sempre assim, não sei o dia de amanhã, mas no momento estou bem feliz e fiel!
E sabe lá Deus se ele é fiel?! Vale pensar também por esse lado, mas vou vivendo minha vida e "acreditando" nisso. rs

Muito bom post, parabéns!

Nani Mota
http://segredosdanani.blogspot.com/

AeonArt disse...

Hum... Não entendi bem isso... O que esta sendo colocado aqui é o peso de cada situação? Desculpe, sou ruim com algumas interpretações. Pelo simples fato de que é quase impossível ser imparcial quando você esta de um lado. Se você acha que pode ser feliz sem trair, você pode achar que quem trai não é feliz, e vice versa. As pessoas de hoje, ou a minha idade, ainda não descobri, me fazem acreditar que cada caso é tão particular que o jeito é continuar tentando ser feliz, seja como for. Felicidade é o agora, seja feliz com seu amor, ou com suas pegadas...

Marcelalalala disse...

Bastante pertinente este tema, dá vazão a um ótimo debate, e isso acho bastante válido.
Primeiramente, obrigada pela participação no Viés Feminino Éd.

Gostei muito e concordo bastante com as opiniões até então apresentadas, em especial as da Patrícia Quel, da Je, Juh e Pretaa, temos idéias bastante parecidas.

Justificar que a busca da felicidade é algo fundamental e prioritário em nossas vidas, sem dúvidas é uma boa válvula de escape para jusfificar deslizes: "Óh! magoei uma pessoa, mas por outro lado fiz o que tive vontade pois só tenho essa vida para aproveitar e o importante é ser feliz"
Muita imaturidade. Um discurso bastante comum, e não só imaturo como egoísta. Não encaro esse tipo de coisa como algo complicado e difícil não, sou bem esclarecida, e acho que as pessoas devem ter certeza do que querem. Como o Éd bem disse, a vida é uma só, logo, penso que não se pode complicá-la! "Lenga-lenga" não é comigo! Sou bem prática, portanto bem resolvida: Quem não está feliz em um relacionamento, termine-o e vá trás da tão famigerada felicidade. Medo de trocar o certo pelo "duvidoso"? A vida se faz de riscos e basta ser maduro para encarar, o que não dá é ser inseguro, mantendo um relacionamento só para ter algo garantido, um "alguém". E ser sincero, é algo tão simples! E falo com propriedade, pois já magoei muitas pessoas sendo sincera, mas melhor magoar pela sinceridade do que pela traição!
Tenho UMA vida. Devo pensar em mim, mas não sou superior a ninguém. E minha satisfação pessoal por mais importante que seja só é verdadeira se eu não tiver prejudicado ou desrespeitado outras pessoas!
Este é meu ponto de vista básico... Vou indo, bjs.

Bruno disse...

Esse seu pensamento é muito imaturo. Se você não consegue ser feliz em um relacionamento com base na fidelidade, fique só. Têm coisas que são tão simples e o ser humano gosta de complicar.

Teca disse...

Se faço a pessoa que amo infeliz, sou infeliz tbm... Então não trair pode ser uma forma de pensar na sua felicidade tbm! Bjão

Jefferson disse...

Ser Feliz ou ser Fiel, ambas palavras são muitos parecidas, porém uma depende da outra..se vc é feliz é fiel,caso contrario vc é Infiel e Infeliz..não é mto complicado td isso, depende mesmo apenas de vc !!!

dri disse...

Olá Ed, quando li seu post achei que pudesse ser um questionamento ao invés de uma afirmação. Talvez te ajude saber que a traição é como uma tesoura que corta a fita da confiança e nada mais cola, mesmo que o traido não fique sabendo você sabe. pondere o seguinte: se quer trair por desejo, acredite vai se arrepender depois que satisfazê-lo, se é por amor então você merece ficar com quem ama e ser feliz.
Ser fiel a você é mais importante.
beijos Dri.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...